Sozinha na África: porque adorei a Namíbia

Sozinha na África: A Tati adora viajar e devido a dificuldade de conciliar todos os detalhes referente as viagens com a agenda dos amigos, as vezes ela faz a mala e parte sozinha.

O sonho de conhecer um país da África já a acompanhava há um tempo, com um gosto pela fotografia e inspirada pelo fotógrafo Sebastião Salgado, ela resolveu conhecer a Namíbia!

“Como não falo inglês só fico um pouco limitada na escolha dos destinos quando vou sozinha. Esse ano resolvi ir para Namibia e daí contratei uma agência e fui numa excursão, o que pode ser uma boa saída (mas tem que escolher bem a agência e se combina com seu perfil de viagem).

Vamos falar sobre minha viagem à Namíbia e como eu fui parar sozinha na África. Essa foi a primeira vez que eu fui sozinha para um país fora da América do Sul.

O continente africano era um sonho antigo e o plano inicial sempre foi conhecer a Tanzânia, mas quando assisti uma palestra do fotógrafo Sebastião Salgado decidi conhecer a Namíbia, que, segundo ele, era um dos países mais fotogênicos do mundo e como meu hobby é fotografia achei que não iria me arrepender.

Como não falo inglês e os pontos turísticos na Namíbia são relativamente distantes para fazer sozinha de carro, o que não achei muito recomendável, resolvi contratar uma excursão com guia em espanhol.

O pacote era de 10 dias e 9 noites e foi bem puxado, pois percorremos cerca de 3 mil quilômetros nesse período.

Quando contei que iria sozinha para Namíbia a maioria das pessoas disse que eu era louca e que lá tinha ebola. Infelizmente ainda há um preconceito com o continente africano. Li muitas reportagens. E a Namíbia não foi atingida em nenhum momento pelo surto de ebola. O que muitas pessoas não sabem é que os países atingidos na época, estavam muito mais próximos da Europa do que do sul do continente. E o país é muito seguro e não há conflitos étnicos.

Além do mais, a África está associada à pobreza. Talvez por culpa dos meios de comunicação que divulgam somente isso de lá. Mas a África é muito mais que isso. Na Namíbia há beleza a perder de vista. Cultura que nos remete a nossas raízes, pelo menos nos lugares que conheci cada pessoa era no mínimo, bilíngue. Outro equívoco das pessoas é pensar que vão passar trabalho numa viagem à África. Isso não vai acontecer pois existem hotéis luxuosos e a comida é maravilhosa.

Definitivamente a Namíbia é um lugar a ser incluído na lista dos destinos mais fantásticos do mundo.

Conhecer a tribo Himba foi uma experiência indescritível. Na tribo quem manda são as mulheres, elas são donas dos animais e das moradias. Elas nunca tomam banho com água e cobrem o corpo com o otize, uma mistura de gordura de vaca e ocre, e usam uma erva aromática que perfuma a mistura, que as protege do sol e dos mosquitos. Logo que você chega na tribo eles ensinam o cumprimento local – “moro perivi naua” (língua otjihimba).

Outra experiência maravilhosa são os safáris e mesmo na Namíbia, onde há pouca água existe bastante vida animal.

E para fechar com chave de ouro conheci Deadvlei, que significa pântano morto, a paisagem mais surreal que já vi até hoje. Hoje posso dizer que conhecer o continente africano superou minhas expectativas e recomendo muito um a viagem até lá.

Garanto que sua viagem não se limitará a ver pobreza.

Quer acompanhar mais sobre as viagens da Tati?! Ela escreve um blog super bacana,  é só clicar AQUI.

2017-07-23T13:00:01+00:00