Queria morar fora e fui parar em Moçambique

A Camila é mineira e tinha um sonho: morar fora! Teve uma oportunidade de trabalho em Moçambique e fez as malas.

Além de realizar o sonho de morar fora com a mudança para Moçambique ela também encontrou seu grande amor lá… em terras estrangeiras!

Como você foi parar em Moçambique:

Sabe aqueles lances da vida onde parece que o universo está realizando seu maior sonho? Foi assim. Sempre tive vontade de morar fora do país, mas não queria abrir mão da minha profissão, sou compradora. Um belo dia, em uma conversa de almoço com uma amiga, ela comentou que um amigo em comum estava trabalhando em Moçambique e que ele estava precisando de uma Compradora. Falei com ele nesse mesmo dia e 2 meses depois estava embarcando rumo ao maior desafio de toda a minha vida.

O que foi o mais difícil antes da partida?

Pedir demissão de um trabalho de 10 anos e colocar minha nova vida dentro de duas malas.

Como foi a adaptação?

Apesar de falar português em Moçambique eu tinha que falar bastante em inglês com os fornecedores, como eu já falava inglês, isso ajudou bastante.

A adaptação foi bem difícil no começo, eu trabalhava numa obra e morava dentro do canteiro. A cidade mais próxima ficava a 1h de distância. Era normal aparecerem uns bichos estranhos nos alojamentos. Cobras (como por exemplo a Mamba Negra), aranhas e escorpiões eram nossas visitas frequentes, pois morávamos dentro de seu habitat natural.

Enfrentei barreiras culturais, especialmente no trabalho. Coisas que pareciam tão simples no meu trabalho no Brasil se tornaram verdadeiros desafios por lá.

E o que é mais difícil de deixar pra trás?

Com certeza a família e amigos. Eu moro fora de casa desde os meus 18 anos, então sempre me vi como uma pessoa desprendida e livre. Mas morar estes quase 3 anos em Moçambique me mostrou que não era bem assim. As minhas primeiras semanas por lá foram bem difíceis.

Na primeira semana por exemplo eu só chorei…rs

O que te preocupava antes da mudança e o que fez para mitigar essas preocupações?

O que aumentava a minha preocupação eram as pessoas me dizendo: “nossa, mas você vai morar na África?” E sozinha?” Por um momento tive medo realmente. Moçambique passou por um período de guerra civil e muita violência. Mas esse medo se desfez em pouquíssimo tempo. Os moçambicanos são pessoas extremamente gentis e super acolhedoras.

Hoje o cenário político voltou a ser um problema, mas no tempo em que estive por lá foi tudo muito tranquilo.

Sem contar que solidão nunca foi um problema. Fiz grandes amigos neste período. Aos poucos fomos ajustando nossas diferenças e formamos uma grande família composta por brasileiros, colombianos, peruanos, filipinos, portugueses, sul-africanos e obviamente, moçambicanos. Nos ajudávamos mutuamente a enfrentar a saudade de casa.

Quando já chegou ao país, essas preocupações fizeram sentido?

Não. Tudo que é novo e desconhecido assusta, é um paradigma. E nós temos muitos paradigmas a serem derrubados. Sempre que se pensa em Moçambique normalmente vem a mente um país pobre e violento. Mas minha percepção de Moçambique foi de um país super acolhedor e com um dos litorais mais lindos que eu já vi em toda minha vida!

Terra de um povo humilde, batalhador e com tanto a nos ensinar…

Daria para morar lá para sempre!?

Não. Sempre vou guardar a cidade de Tete/Moçambique dentro do meu coração. Mas hoje sei que foi por aquele período somente. Tinha algo além de uma proposta de trabalho me guardando nesta minha mudança de país.

Quando saí do Brasil eu estava solteira há dois anos. Estava saindo daquela fase onde você não aguenta mais relacionamentos desastrosos. Fui embora pensando em dar um tempo de tudo, especialmente do amor…Porém, logo na segunda semana eu conheci aquele que hoje é meu marido, meu amor, meu companheiro de aventuras nessa vida, o Lázaro.

Ele de Itaparica/BA e eu de Minas. Fomos nos conhecer em outro continente e depois nos casamos em Las Vegas! Já que nossa história era inusitada, trocamos votos de maneira mais inusitada ainda.

A melhor coisa dessa viagem para Moçambique:

Descobrir que tudo o que você precisa para viver feliz cabe dentro de duas malas. Descobrir que diferenças culturais, por mais difíceis que possam parecer, são sempre ricas. E principalmente, entender que grandes amizades não se dissolvem com a distância e que esta mesma distância também traz pessoas incríveis pelo caminho.

Por Camila Pereira

2017-07-19T17:28:18+00:00