Estagnada no trabalho, hora de mudar de vida!

Estava estagnada no trabalho e precisava de uma vida com mais inspiração! Decidi me arriscar em um novo país e trabalhar remotamente enquanto encontro meu caminho por aqui.

Meu nome é Mariana Gabellini, nasci em São Paulo – SP e vim parar em Trento, na Itália… minha vida mudou completamente e é sobre isso que fala abaixo!

Principal dificuldade encontrada:

Acho que a maneira de encarar os sentimentos. Na Itália, as pessoas conseguem ser mais passionais que no Brasil, principalmente no dia a dia, e isso às vezes cansa.

Você já falava a língua do país? Como foi essa adaptação?

Não! Estou aprendendo… Mas o italiano é muito parecido com o português, então a adaptação não foi difícil. Inclusive, todo mundo por aqui acha que minha língua-mãe é o espanhol.

O que foi o mais gostoso de estar na estrada? 

Cada dia é único! Por enquanto, ainda não vivo uma rotina… Mas, é, até ir ao supermercado ou ligar para o delivery de pizza é divertido!

E o que foi o mais difícil? 

Ficar longe da família, claro. Bebês nasceram e gente que eu amo morreu – isso em tão pouco tempo. É estranho imaginar que a vida lá está mudando sem que eu possa participar também. E eu me sinto sozinha às vezes.

Você foi sozinha ou acompanhada? Daria para ir sozinha?

Sozinha, mas estou vivendo na casa de um casal de tios italianos de grau distante. Até o final desse mês vou para a casa do namorado e, assim que me estabilizar, procurar meu cantinho.

O que te preocupava antes da viagem? O que fez para mitigar essas preocupações?

Não encontrar um emprego fora. Para reduzir um pouquinho o medo, mantive a possibilidade de trabalhar remotamente para o Brasil. Assim, mesmo que tudo desse errado por aqui, ainda continuaria trabalhando.

Quando já estava na viagem, essas preocupações fizeram sentido?

Sim! Ainda não encontrei um trabalho por aqui, porque a Itália também está em crise.

Hoje o que você acha que você tem acesso fora do Brasil que não teria no Brasil?

Muitas coisas: em primeiro lugar, a qualidade de vida. Poder sair de madrugada sem medo de ser assaltada é um luxo, não é? Clichê, mas é verdade. Depois, o acesso à cultura.

A UE tem países muito próximos um dos outros e poder viver ou viajar livremente para qualquer um deles é uma delícia. Ah, sem contar os museus e as universidades que são incríveis, né? Pretendo estudar muito por aqui!

A melhor coisa de viajar:

Aprender. Como disse, cada dia é único. Mas, mais do que isso: aprendi a criar consciência sobre a minha própria existência… Não existe nada que me prenda a um único lugar e as oportunidades são infinitas. A beleza mora aí!

2017-07-23T22:06:41+00:00