Fiquei um mês sozinha na Espanha e adorei!

A Carla teve a influência dos pais que sempre gostaram de viajar, mas, ficar 1 mês sozinha na Espanha seria um grande desafio.

1 mês sozinha na Espanha: Desde a insegurança de como lidar com os problemas do dia a dia como também vencer o medo e descobrir novos lugares e novas pessoas. Com bastante planejamento, ela não só aproveitou bem esse um mês na Espanha, como já está pensando na próxima viagem.

Principal motivação para viajar?

Querer ver com os meus próprios olhos o que há por aí para tirar minhas próprias conclusões e me desafiar fazendo algo totalmente novo!

Principal dificuldade encontrada? Você já falava a língua do país?

Decidir a cidade onde ficar e que roteiro fazer! Tem muita coisa bonita para ver na Espanha! Muito pouco, tive aulas de Espanhol na escola, mas não aprendi o suficiente para me virar bem.

O que foi o mais gostoso de estar na estrada?

Acho que o principal é a liberdade de poder montar meus dias do jeito que quero e ter um dia completamente diferente do outro todos os dias!

E o que foi o mais difícil?

O mais difícil com certeza foi ir embora dos lugares depois de fazer amizade com tanta gente do bem! Conheci gente muito especial que não sei se vou ver de novo!

O que te preocupava antes da viagem e o que você fez para diminuir essas preocupações?

Eu me preocupava com as coisas básicas como, por exemplo, conseguir pegar ônibus e metrô sozinha em outro país, conhecer as coisas que eu quero, agendar os hostels do jeito certo pelo celular, me comunicar com as pessoas, etc. E, além de tudo isso, eu tinha um medo especifico de ir viajar e ficar evidente que eu era uma menina, sozinha, num lugar totalmente diferente do que eu estava acostumada e alguém tentar me fazer algum mal.

Eu vivi minha vida toda em São Paulo e quem já visitou a cidade sabe que ouvimos o dia inteiro: Tome cuidado! Não fale com estranhos! Não ande sozinha à noite! Entre outros conselhos. Aquilo estava presente na minha cabeça o tempo todo e lidar com esse medo foi uma das maiores lições da minha vida!

Para diminuir a preocupação, fiz um esforço tremendo pra mudar meus pensamentos toda vez que vinha algo ruim na minha cabeça. Então, por exemplo, quando começavam os pensamentos ruins eu logo começava a pensar nos lugares maravilhosos que eu ia conhecer, na sorte que é poder fazer uma viagem assim, em tudo que se pode imaginar de bom.

Esse tipo de atitude me ajudou muito porque em um determinado momento você desarma e o medo aos poucos vai embora.

Claro que temos que tomar cuidado, mas não a ponto de criar uma paranoia desse tamanho!

Quando já estava na viagem, essas preocupações fizeram sentido?

Nessa viagem, especificamente, minha preocupação foi 100% em vão. Tudo saiu melhor do que eu esperava. Eu guardo lembranças muito boas da Espanha! Consegui pegar metrô, trem, avião, bicicleta, tudo sozinha! Hahaha As pessoas foram tão receptivas que na primeira semana da viagem eu já estava me sentindo a vontade. Achando que falava Espanhol fluente, desenrolando conversas com todo mundo, dando instruções de caminhos na rua. Morei em Granada e, quem já visitou a cidade sabe que nem quem mora lá consegue saber como chegar aos lugares. Me perdi todos os dias!

No final da viagem fiz uma analise já dentro do avião e percebi que, durante um mês, todos os dias, sem exceção, conheci alguém que me ajudou e, como era esperado, ninguém me fez mal algum nem uma vez sequer!

A melhor coisa de viajar?

Conhecer o novo com certeza! Toda a bagagem que vem junto com uma viagem faz com que a gente mude realmente. Eu percebo em mim que uma viagem simples pra um destino comum já faz mudanças incríveis na maneira como encaramos o mundo. Os problemas do dia-a-dia, pessoas diferentes com maneiras de pensar diferentes.

Quer saber mais sobre a experiência da Carla na Espanha?! Só clicar aqui.

2017-07-23T12:38:20+00:00