Porque Fernando de Noronha é considerado o paraíso

Tatiana  já viajou três vezes para Fernando de Noronha. Mesmo depois de ir tantas vezes, continua afirmando que Fernando de Noronha é considerado o paraíso para qualquer pessoa dos mais variados públicos.

Quando Américo Vespúcio descobriu Fernando de Noronha, em 1503, ele declarou: “o paraíso é aqui”. E desde então Noronha continua sendo um paraíso. Tatiana já foi três vezes à ilha: a primeira sozinha, a segunda com namorado e a terceira com uma amiga. Quando foi sozinha ela afirma que se conectou muito mais com a ilha. Aliás, aquela foi a sua primeira viagem sozinha.

Vale o investimento para conhecer Fernando de Noronha?

Existe algo em Noronha que transcende qualquer outro lugar! É simplesmente mágico e por isso Tatiana não se cansa de voltar. Porém, como é de conhecimento popular, não é um destino barato, principalmente pela passagem aérea que pode custar praticamente o mesmo valor de uma passagem para Europa.

“Garanto que vale cada centavo investido! Algumas pessoas me perguntam se é melhor do que o Caribe. Já fui para alguns lugares no Caribe e minha resposta sempre foi a mesma: não tem como comparar, pois são belezas distintas”, afirma Tatiana.

Porque é um destino tão especial?

Em Noronha há muito mais do que um mar azul de águas calmas. Por lá você também não vai encontrar a opção “resort pé de areia” como no Caribe. Por ser completamente apaixonada por Fernando de Noronha, a opinião da Tatiana não é nada imparcial, “escolheria sempre Noronha”, confirma.

O que mudou na ilha desde a primeira viagem?

A maior mudança desde a primeira vez que Tatiana esteve por lá, em 2007, é que agora para acessar as Baías do Sancho, do Sueste e dos Porcos é preciso pagar R$ 89,00. Esta última dá somente para chegar ao mirante, já que o acesso pela praia, que se dá pela Cacimba do Padre, continua sendo gratuito.O cartão é válido por 10 dias e tem que ser apresentado aos funcionários que ficam no acesso dessas praias.  Para estrangeiros o valor é de R$ 178,00.

Porém, a parte boa, é que o cuidado com a preservação ambiental não diminuiu com o crescimento da ilha. Atualmente há mais lojas e restaurantes, mas com a cobrança das taxas para acesso às praias, há um maior controle sobre as mesmas.

Preservação ambiental em Fernando de Noronha

A preservação também se deve muito ao trabalho de funcionários, muitos deles voluntários, que estão sempre informando aos turistas sobre a consciência ambiental que devem ter naquele pequeno pedaço do paraíso.

E mesmo já tendo ido três vezes,  Tatiana sempre tem algo novo para conhecer. Da última vez fez o mergulho de snorkel em Caiera, que super recomenda. “Dá para ver, se você tiver sorte como eu tive, tubarão, tartaruga, lagosta e muitos peixes”, afirma Tatiana.

Mas o mergulho na Baia do Sueste continua sendo o programa favorito dela na ilha. “Mergulhar com tartarugas não tem preço!”, diz.

Quanto tempo ficar por lá?

O ideal é ficar pelo menos 06 dias para poder conhecer todas as praias com calma. Se você não puder ficar esse tempo, não deixe de conhecer pelo menos a Baia do Sancho, a Baia dos Porcos, a Cacimba do Padre, a Baia do Sueste e ver o pôr do sol do mirante do Boldró e do Forte dos Remédios.

E se você resolver ir para Fernando de Noronha, compre a passagem de ida na janela do lado esquerdo da aeronave, pois você poderá observar, ao chegar, o Morro Dois Irmãos, cartão postal da ilha.

Tem uma placa na praia do cachorro com a seguinte inscrição: “Quando tudo isto acabar, não adianta reclamar.

Proteja. Noronhe-se”.

É desse espírito que o turista tem que se imbuir ao decidir conhecer Fernando de Noronha. A preservação é o melhor legado que um turista pode deixar de presente para um paraíso 100% brasileiro. Então, “noronhe-se”e boa viagem!

Tatiana Tamiosso colaborou com esse post.

2017-07-11T18:24:04+00:00